Na Newsletter passada comentamos na área de notícias que a BitWise (gestora de investimentos em Criptomoedas americana) apresentou à SEC (Equivalente ao que é a nossa CVM – Comissão de Valores Mobiliários) um relatório detalhado no qual ela explica que aproximadamente 95% do volume reportado de negociação em Criptoativos é fraudulento, e que no final do dia, essa descoberta é uma coisa boa.

Um de nossos primeiros clientes aqui na HashInvest (e consequentemente um bom amigo) ficou intrigado com essa questão e pediu para detalhar essa história. Além de atender ao pedido, a apresentação da BitWise é tão rica que vale a pena um artigo sobre esse tema.

O tal ETF de Bitcoin

Para contextualizar, já fazem pouco mais de 2 anos que muitos agentes do mercado americano (gestoras de recursos, assim como a HashInvest) estão buscando viabilizar um ETF de Bitcoin. Um ETF (Exchange Traded Fund) vem a ser um fundo de investimento negociado em Bolsa de Valores.

Um ETF de Bitcoin seria mais ou menos (para simplificar e facilitar a explicação) como se o Bitcoin passasse a ser listado em bolsa como se fosse uma ação de uma empresa, ou seja, o Bitcoin (e demais Criptomoedas) estariam disponíveis na plataformas de home-broker, websites de bancos e das próprias bolsas, disponível em todo lugar para livre negociação.

Assim como tudo na vida, existe quem argumente que isso não teria impacto sobre o mercado e tem gente que diz que isso será um divisor de águas e o catalisador do próximo ciclo de “bull-run”. Como o futuro é imprevisível, não tem como saber quem está certo, mas o fato é que nos Estados Unidos, 54% dos adultos negociam ações em bolsa ao passo que é estimado que menos de 4% possuam alguma exposição aos Criptoativos.

A lógica por trás de quem diz que o ETF será um divisor de águas é que, do dia para a noite, serão adicionados ao mercado dezenas de milhões de novos potenciais compradores, gente que não tem familiaridade com as exchanges de Criptomoedas, com a tecnologia, com o próprio ativo em si e que passariam a poder comprar e vender Bitcoin dentro de sua zona de conforto, junto com seus papéis de GE, Facebook, Caterpillar, ETF de SP500 e etc, como já fazem todos os dias.

Seja qual for a realidade, a SEC tem travado o ETF de Bitcoin argumentando, principalmente, que o mercado é demasiadamente manipulado e que a descoberta de preços (usando o jargão da SEC) é quase impossível.

Dentro desse cenário, a BitWise conduziu um estudo muito interessante que buscou endereçar as preocupações da SEC quanto à manipulação de mercado, custódia, liquidez, preço e demais preocupações do agente regulador.

Os volumes são Fake-News

Dentro desse estudo o fato que mais chocou o mercado foi que os volumes de negociação de Criptomoedas estão superdimensionados de forma fraudulenta em estimados 95%.

Para chegar a essa conclusão as corretoras de Criptomoedas foram estudadas em detalhes e para encurtar a história, a BitWise conseguiu separar o joio do trigo, ou seja, através de métricas claras e bem definidas, conseguiu separar as exchanges que fraudam as negociações das exchanges honestas no reporte das compras e vendas.

Métricas claras, não necessariamente fáceis…

O estudo é bastante detalhado e várias métricas foram adotadas, mas para exemplificar o método, vou citar alguns exemplos para o leitor entender o caminho que a BitWise seguiu.

Perfil de compra e venda

Honesto: É aleatório. Compras e vendas acontecem sem um padrão previsível, por exemplo, às vezes 10 compras pequenas seguidas de uma venda grande. O timestamp (horário da negociação) é também aleatório.

Fraude: Compras e vendas se alternam na grande parte do tempo. Uma compra, uma venda, uma compra, uma venda. O timestamp é casado, uma compra e uma venda acontecem no exato segundo.

Tamanho das Ordens

Honesto: No mundo real, são lançadas ordens de compras e vendas de tamanhos diferentes e não se sabe quanto tempo vai levar para uma ordem fechar. Por exemplo, eu lancei uma venda de 1 Bitcoin e foram necessárias 10 ordens de compra de 0,1 Bitcoin em tempos desconhecidos para liquidar minha venda.

Fraude: Toda ordem de venda casa imediatamente com uma ordem de compra e vice versa. Seja qual for o tamanho da ordem, ela sempre casa e o negócio é fechado no mesmo segundo. Sempre existe liquidez.

Spreads (diferença de preço entre compra e venda disponível no mercado)

Honesto: O Spread é muito apertado, sempre inferior ao custo pago de comissão pela negociação na corretora. No momento em que escrevo esse artigo, o Bitcoin está cotado a USD 5.139,94 para compra e USD 5.142,00 para venda na Bitstamp, uma corretora honesta. Uma diferença de USD 2,06, ou seja, não é possível arbitrar e lucrar dentro da própria corretora.

Fraude: Nesse exato momento, uma corretora desonesta está cotando o a compra a USD 5.109,00 e a venda a USD 5.124,00. Uma margem de USD 15,00, o que é suficiente para obter lucro comprando e vendendo na própria exchange.

Métricas sociais também contam…

Exchange 1: 10 mil seguidores no Twitter; 1,25 milhões de buscas mensais no Google; Site ranqueado em 90.701 entre os mais acessados do mundo, com 42 funcionários.

Exchange 2: 1 milhão de seguidores no Twitter; 26 milhões de buscas mensais no Google; Site ranqueado em 1.917 entre os mais acessados do mundo, com 852 funcionários.

Não é razoável que a Exchange 1 reporte um volume de negociação 18 vezes maior que a exchange número 2… Podemos parar por aqui.

Mas porque diabos as exchanges fazem isso?

A BitWise colheu além desses dados exemplificados aqui, muitos outros padrões em um total de 81 corretoras de Criptoativos do mercado e chegou a conclusão do que todo mundo sabia mas não conseguia até então provar, que os volumes de negociação são artificialmente manipulados.

O pessoal da BitWise foi elegante ao apontar apenas uma das motivações, se destacar no mercado. Na euforia das ICOs (já escrevi bastante sobre elas, aqui um link para quem quiser relembrar o que são) as exchanges cobravam taxas milionárias (de USD 1 a 3 milhões) para que os emissores de novas moedas pudessem listar suas shitcoins.

Se você vai gastar milhões em taxas para ter sua moeda listada, é bom que esteja listada em uma exchange com alto volume, liquidez e muitos clientes não? Ironicamente, nenhuma corretora honesta jamais cobrou para listar uma Criptomoeda…

O outro motivo a BitWise não falou… As corretoras colocam seus robôs de negociação automática casadinhos (compra e venda) e levam os preços para cima e para baixo (numa banda estreita) e consequentemente aumentam os spreads. Os clientes reais, ou seja, as pessoas que realmente usam aquela exchange, tendem a colocar suas ordens ligeiramente fora dos spreads definidos pelo robô, fazendo com que ele consiga arbitrar dentro de casa e lucrar mais em cima dos próprios clientes.

Isso é sujo, criminoso e infelizmente muito comum, inclusive em exchanges aqui no Brasil… Males de um mercado não regulamentado.

Salvaram-se poucos

São mais de 1.000 corretoras no mercado, das quais 81 correspondem a mais ou menos 20% do volume reportado. Creio que nenhuma exchange brasileira tenha sido amostrada dentro das 81. Dessas, apenas 10 foram consideradas honestas pelo estudo.

É importante lembrar que, muito provavelmente existam outras corretoras honestas, porém com volumes de negociação não representativos. A lista das corretoras tidas como confiáveis é composta por: Binance, Bitfinex, Kraken, Bitstamp, Coinbase, BitFlyer, Gemini, ItBit, Bittrex e Poloniex.

Do volume amostrado, foram reportados USD 6 Bilhões em negociação, sendo que o volume real foi estimado em USD 273 Milhões.

Conclusões

A surpresa positiva desse estudo é de que o mercado de Bitcoin é mais saudável do que se supunha.

O volume reportado dava a entender que absurdos 9% do mercado de Bitcoin trocavam de mãos todos os dias, o que não é razoável. O ouro, por exemplo, tem um giro diário de 0,55%. O estudo estima que o giro real do Bitcoin seja de 0,39% ao dia, bem mais razoável.

Outro dado assustador é que pelo volume reportado, os EUA (maior economia do mundo) eram responsáveis por meros 1% do volume de compra e venda de Criptomoedas. Pelos dados reais, os americanos são responsáveis por 30% do volume. Muito mais razoável.

Descobriu-se também que o preço do Bitcoin é altamente eficiente, e que nas 10 corretoras honestas o Bitcoin é negociado pelo mesmo preço (diferenças menores que 0,25% entre todas elas).

O relatório é extenso e endereça outras questões para a SEC, mas escolhi o tema dos volumes porque ele trouxe uma inovação no mercado. Esse relatório divide os olhares em antes e depois.

O site CoinMarketCap (principal referência de preços no mercado de Criptomoedas) continua a ser líder e continua a ser referência de preços, mas seus dados de volume passaram a ser solenemente ignorados.

A turma da Messari Cripto, uma startup que quer ser a “Bloomberg” dos Criptoativos se adiantou e criou o índice de volume chamado “Real-10”, que consolida apenas as exchanges consideradas honestas pelo relatório da BitWise.

O CoinMarketCap que se cuide, pois o trabalho da Messari é muito bem feito e seu painel para acompanhamento do preço das Criptomoedas é impressionante e eles caminham a passos largos para a liderança. Nesse link você pode dar uma olhada no site OnchainFx da Messari.

A BitWise prestou um excelente serviço e pavimenta o caminho para a aprovação do ETF de Bitcoin, o deve acontecer provavelmente em 2020 (com muita sorte ainda em 2019).

Ainda falta muito para dizer que o Bitcoin é um mercado maduro, muita coisa precisa ser consertada, criada e desenvolvida, mas lembre-se que é nesse fato que reside o absurdo potencial de valorização do mercado. Mercados maduros, prontos e desenvolvidos não têm o potencial de valorização que as Criptomoedas têm.

Mas o processo começou, foi-se o tempo da terra de ninguém e hoje, o que o mercado busca, é seriedade, dados sólidos e principalmente confiança para que o dinheiro de verdade entre nos Criptoativos. O Bitcoin deixou sua primeira infância e entrou na adolescência.

Orgulhosamente digo a todos vocês que, uma vez que transformados os Reais em Bitcoin (precisamos fazer isso em alguma exchange local, não tem jeito), todos os negócios realizados na HashInvest sempre foram feitos em exchanges pertencentes a lista das 10 honestas.

Você pode conferir o relatório completo da BitWise clicando aqui.

Obs: Este artigo é uma réplica da Newsletter da HashInvest disponibilizada por e-mail e publicada aqui com alguns dias de defasagem. Quer receber a Newsletter na íntegra? Assine inserindo o seu e-mail abaixo:

Assine a nossa newsletter
Receba o conteúdo que interessa para o investidor em Criptomoedas!
Obrigado por assinar a nossa newsletter!
We respect your privacy. Your information is safe and will never be shared.
Don't miss out. Subscribe today.
×
×
WordPress Popup Plugin