No final de 2019 a Google criou furor na comunidade científica ao publicar um artigo em que afirmava ter atingido supremacia na tecnologia quântica. Esta notícia foi revolucionária porque acredita-se que computadores quânticos serão a base para a próxima geração de supercomputadores. Para se ter ideia do poder computacional envolvido, o teste desenvolvido pelo Google conseguiu ser superior ao computador mais poderoso do mundo hoje, que possui mais de 10.000 processadores multi-core, com folga. Para entender porque os computadores quânticos tem potencial para serem tão mais rápidos que os modelos atuais, precisamos entender como a informação é processada em cada tecnologia.

No modo tradicional, a informação é armazenadas em bits e cada bit possui somente dois estados possíveis: 0 e 1. Um número racional, por exemplo, precisa de 32 ou 64 bits para ser representado. Na computação quântica, por sua vez, os quantum bits (como são chamadas as unidades básicas de informações neste tipo de tecnologia) podem representar valores fracionais, com isso, 1 quantum bit armazena muito mais informações e o processamento é muito mais rápido. No experimento do Google, que superou o computador mais poderoso da atualidade, somente 53 quantum bits foram utilizados no lugar de um computador com 10.000 processadores.

As possibilidades que se abririam para a humanidade ao atingir este novo patamar de poder de processamento seriam tremendas. Além de novas e fantásticas aplicações como, por exemplo, a elaboração de novos compostos orgânicos para medicamentos, a computação quântica poderia quebrar a criptografia utilizados para segurança da maior parte das transações financeiras realizadas no mundo, incluindo criptomoedas.

Mas antes que você se desespere e venda todos os seus Bitcoins, a utilização dos computadores quânticos não afetaria só as moedas digitais. Os efeitos seriam muito maiores que este mercado ainda minúsculo: todos os bancos até o Pentágono poderiam ser atacados. Por isso, já existem diversos grupos de pesquisa buscando desenvolver novas técnicas tidas como resistentes à computação quântica, com algumas provas de conceito já em fase de teste. E, da mesma forma que todos os sistemas financeiros, as criptomoedas precisarão ser atualizadas. De qualquer forma ainda estamos relativamente longe de aplicações reais (estima-se algo em torno de 10 anos).

O que o experimento do grupo de pesquisa do Google provou, é que de fato é possível utilizar esta tecnologia para operações matemáticas complexas. Como disse Vitalin Buterin, fundador do Ethereum, “[esta experimento do Google] é para a computação quântica o mesmo que bombas de hidrogênio são para a fusão nuclear. Provam que um fenômeno e a capacidade de extrair poder existem, mas ainda longe de serem usado para coisas úteis”. Por isso, não há motivo de desespero. Ninguém vai sair roubando Bitcoins com computadores quânticos e, se de fato isso se tornar possível, a maior parte dos sistemas dependentes de criptografia do mundo já terão sido atualizados, incluindo as criptomoedas.

Obs: Este artigo é uma réplica da Newsletter da HashInvest disponibilizada por e-mail e publicada aqui com alguns dias de defasagem. Quer receber a Newsletter na íntegra? Assine inserindo o seu e-mail abaixo:

Assine a nossa newsletter
Receba o conteúdo que interessa para o investidor em Criptomoedas!
Obrigado por assinar a nossa newsletter!
We respect your privacy. Your information is safe and will never be shared.
Don't miss out. Subscribe today.
×
×
WordPress Popup Plugin