Eu falei sobre o Ethereum Name Service (ENS) quando este serviço ainda estava dando os seus primeiros passos, o que já faz algum tempo. Desde então este projeto ganhou corpo e na semana passada uma novidade importante foi anunciada.

Relembrando, o ENS é um serviço de registros de nomes (domínios) inicialmente destinado ao Ethereum que busca simplificar a vida dos usuários da rede. Isto é importante porque para fazer uma transação em blockchain normalmente usa-se uma sequência de caracteres que identifica o receptor. O tamanho desta sequência pode variar e no caso do Ethereum são 40 letras ou números nem um pouco amigáveis a humanos. O papel do ENS é portanto permitir que em vez de mandar Ethers para 0xe897a535c5814ce066046e9aaf338d2bf2d002f6, possa-se usar nomes com maria.eth ou jose.eth. Para se ter uma ideia da relevância que isso teve na comunidade das moedas digitais, mais de 300 mil domínios já foram registrados.

A novidade anunciada é que, além de endereços para transação dentro da rede Ethereum, também serão habilitados endereços para transações de outras nove Criptomoedas: Bitcoin, Litecoin, Dogecoin, Monacoin, Ethereum Classic, Rootstock, XRP, Bitcoin Cash e Binance Coin. Só o fato do Bitcoin, moeda que detém hoje mais de 60% do valor de todo o mercado de Criptomoedas, passar a ser suportada pelo ENS deve garantir uma impulsão grande ao serviço. Além disso, todas as moedas que hoje fazem parte do índice HASH5 serão suportadas.

Antecipando-se a um eventual aumento de demanda, o processo de compra de domínios foi simplificado e agilizado. Até o começo de setembro, era realizado um leilão online cada vez que alguém demonstrasse interesse em comprar um domínio livre, processo que levava alguns dias. Agora os domínios restantes podem ser comprados imediatamente, a um custo inicial de aproximadamente US$ 5,00.

Uma curiosidade é que hackers recentemente encontraram uma fragilidade na plataforma que gerenciava os leilões e alguns nomes bastante cobiçados acabaram sendo vendidos por preço de banana. Dentre estes domínios está, por exemplo, apple.eth. Como blockchains devem ser irreversíveis, tanto para o bem quanto para o mal, os nomes perdidos não puderam ser recuperados. A plataforma então prometeu pagar o valor da maior oferta feita pelo domínio e mais 25% de bônus para os hackers que devolvessem os nomes roubados. Até agora sem efeito.

Deste movimento vejo duas consequências importantes para o mundo das Criptomoedas. A primeira e mais óbvia, é o importante trabalho de simplificação do uso e diminuição dos entraves para que pessoas normais (não nerds) usem as moedas digitais. Além disso, considero também que a rede Ethereum será beneficiada, pois cada vez mais ela se coloca como a rede que conecta diferentes blockchains e onde os projetos mais importantes são desenvolvidos.

Obs: Este artigo é uma réplica da Newsletter da HashInvest disponibilizada por e-mail e publicada aqui com alguns dias de defasagem. Quer receber a Newsletter na íntegra? Assine inserindo o seu e-mail abaixo:

Assine a nossa newsletter
Receba o conteúdo que interessa para o investidor em Criptomoedas!
Obrigado por assinar a nossa newsletter!
We respect your privacy. Your information is safe and will never be shared.
Don't miss out. Subscribe today.
×
×
WordPress Popup Plugin