Nessa semana a volatilidade voltou ao mercado de Criptomoeda, infelizmente para baixo. Lá na Newsletter 57 está tudo bem explicadinho de quando você não deve investir em Bitcoin e Criptomoeda, pois ela oscila (e muito) e pode virar pó do dia para a noite.

Se você leu, entendeu e mesmo assim quer ficar por aqui vamos adiante.

Minha situação é ligeiramente desconfortável. Se o Bitcoin sobe “não fiz mais que a obrigação” e se o mercado cai, a culpa é toda minha, que não avisei para sacar a tempo. Gostaria de ter esse poder a mim atribuído por alguns de nossos clientes. Mas não estou aqui para fazer amigos… Estou aqui para comprar e guardar com segurança Criptomoedas para quem não está afim de fazer esse serviço por conta, mas o que todos me cobram é posição, então, vou me posicionar.

O mercado de Criptomoedas em geral está num momento ruim quanto ao tocante “relações públicas”. Localmente (no Brasil), o interesse em Bitcoin é nulo ou perto do inexistente e tipicamente ele está sendo utilizado para promover pirâmides, fraudes e empresas com liquidez problemática (Vide Unick Forex, Investimento Bitcoin, Bitcoin Banco, Atlas Quantum e 3xBit não necessariamente na ordem) entre outras.

Você que acompanha nossa Newsletter já sabe se prevenir e evitar toda essa turma… Mas a tentação é grande e um monte de gente foi atrás daquele 1% ao dia que virou 0% de tudo… Enfim…

Mundialmente, a frustração e o desinteresse são parecidos, um pouco menos ruim eu diria. Quem apostou na fada mágica da Bakkt quebrou a cara. Nós avisamos a exatos 15 dias que nada iria acontecer do dia para a noite e que a análise de impacto da Bakkt deve ser feita em no mínimo 180 dias, mas enfim, a turma que gosta de se iludir se iludiu como nunca e se estrepou como sempre.

Voltando ao título do artigo, o objetivo do texto de hoje é reforçar para nossos clientes a minha visão (exclusivamente pessoal e não corporativa) em meio a sua frustração. Bom, vamos lá, começando pelo lado ruim…

O Bitcoin e o mercado de Criptomoedas podem sim desaparecer e valerem algo perto de zero do dia para a noite e você precisa estar totalmente consciente disso antes de investir qualquer quantia nesse mercado, e a chance disso acontecer não é desprezível.

Tendo a perfeita noção disso, agora vamos ao lado bom… Visão de longo prazo. Antes que os pessimistas apareçam com a história que no longo prazo todos iremos morrer, antecipo que minha visão de longo prazo é de 10 a 15 anos.

Em 1995 a utilização da internet alcançou 0,4% da população mundial, uma adesão tão baixa a ponto de que em 1996, Robert Metcalfe (inventor do Ethernet – o famoso fio azul mágico da internet e fundador da 3Com) soltou a seguinte frase:

“Eu vejo que a Internet será como uma espetacular supernova e em 1996 irá catastroficamente colapsar”.

Veja o que Clifford Stoll ( na época o astrônomo era considerado uma influente voz no mundo da tecnologia) disse sobre o que viria a ser o e-commerce naquele mesmo 1995:

Clifford Stoll – Youtube

Prometemos compras instantâneas em catálogos – basta apontar e clicar para obter ótimas ofertas. Vamos pedir passagens aéreas pela rede, fazer reservas em restaurantes e negociar contratos de vendas. As lojas ficarão obsoletas… Então me explique o porquê uma loja do meu shopping local faz em uma única tarde mais vendas do que a Internet inteira faz durante um mês? Mesmo que houvesse uma maneira confiável de enviar dinheiro pela Internet – o que não existe – a rede está perdendo o ingrediente mais essencial do capitalismo: os vendedores”.

Pois é… Nossos gurus não poderiam estar mais errados. E porque eles erraram tão feio? Porque é cômodo acreditar que as coisas continuarão a ser como sempre foram. É uma aposta com boas chances de sucesso… Porém, quando o benefício é grande e as vantagens são inegáveis, a natureza segue seu curso.

Nem toda inovação pega, nem toda inovação da certo, mas com 10 anos de vida, o Bitcoin trás consigo inovações que fazem cada vez mais sentido, principalmente no contexto econômico, político e cultural que temos tomado como rumo. Quando as inovações fazem sentido as chances de sucesso se multiplicam por muitas vezes.

De forma resumida, o Bitcoin trouxe consigo duas inovações principais:

1 – Um protocolo de criação e transferência de dinheiro sem autoridade central, ou seja, uma rede que funciona por si sem a necessidade da “benção” de governos, empresas, bancos, igrejas e afins… A posse e a transferência de dinheiro são definições exclusivas de seus proprietários. Sem limites diários, assinaturas de gerentes ou outras excrescências;

2 – Incensurabilidade e inclusão. O blockchain do Bitcoin não se importa se você é preto, branco, amarelo ou cor de rosa. Homem, mulher ou qualquer coisa no meio do caminho. Literalmente qualquer um é aceito de forma igual pela rede e o seu dinheiro registrado nela não pode ser movido ou confiscado sem sua autorização. Governos não pode fazer nada a esse respeito disso nem que queiram;

Enfim, dentre muito outros, esses dois são fatores que muito provavelmente serão suficientes para garantir a não extinção das Criptomoedas e muito provavelmente ajudarão no seu crescimento.

Dito isso, gostaria de acrescentar que, de acordo com alguns estudos feitos por gente bastante competente no meio das Criptomoedas, em 2019 o uso do Bitcoin vai chegar em… 0,4% da população mundial. Num conceito de universos paralelos (técnica de Design Thinking) chegamos em 1995 no mundo dos Criptoativos.

Acredito que, em 2030, se você comprou Bitcoin por USD 100 ou por USD 20.000 será completamente indiferente.

Acredito (de verdade) na compra de um punhado de Criptomoeda todo mês.

Acredito que a volatilidade de preços de curto prazo é um mero ruído feito para te deixar com o estômago embrulhado e abalar minhas convicções.

Acredito que o melhor momento para comprar Bitcoin foi em 2010 e o segundo melhor momento é hoje.

Acredito que o Ethereum (ou alguma plataforma de smartcontracts) irá conseguir tracionar de verdade.

Acredito que o Ripple está pavimentando muitas estradas e que o uso do XRP é questão de tempo.

Acredito que juro negativo é um erro e que fatalmente parte do dinheiro institucional vá parar nas Criptomoedas, não porque é bonito, mas por falta de alternativas melhores.

Acredito que estamos falando de tecnologia e não de fé cega, então, reafirmo o compromisso de que, se eu desistir e achar que o barco fez água de vez, meus leitores serão os primeiros a saber.

Não tenho a menor pretensão de estar certo em todas as crenças, mas estou posicionado de forma que, se eu estiver completamente errado não vou morrer de fome e nem perder o todo de minhas economias, mas se eu estiver parcialmente certo eu vou multiplicar uma bela quantia a ponto de mudar de vida.

Falo para os amigos cada vez mais céticos com os investimentos em Criptomoedas (semanas como a que passou ajudam muito nisso) que 2030 é logo ali, que somos todos usuários iniciais (0,4%) e que pelo menos por enquanto, o custo de deixar o bonde passar pode ser muito mais elevado do que se arriscar a ver essa coisa toda mudar o mundo.

Obs: Este artigo é uma réplica da Newsletter da HashInvest disponibilizada por e-mail e publicada aqui com alguns dias de defasagem. Quer receber a Newsletter na íntegra? Assine inserindo o seu e-mail abaixo:

Assine a nossa newsletter
Receba o conteúdo que interessa para o investidor em Criptomoedas!
Obrigado por assinar a nossa newsletter!
We respect your privacy. Your information is safe and will never be shared.
Don't miss out. Subscribe today.
×
×
WordPress Popup Plugin