Neste mês tivemos uma novidade no índice HASH5, a moeda Lumen (XLM) passou a integrar a nossa cesta de moedas. Então, nada mais justo do que falar um pouco sobre essa Criptomoeda.

Começando do começo, o XLM surgiu em 2014 por iniciativa de Jed McCaleb, um cara que é o fundador de diversos sistemas revolucionários. Ele tem em seu currículo, por exemplo, a criação do eDonkey, sistema pioneiro no compartilhamento de arquivos lá nos anos 2000.

Foi dele a iniciativa da primeira exchange de Bitcoin do mundo (Mt. Gox) e ele é um dos fundadores empresa Ripple, uma das mais valiosas companhias ligadas às moedas digitais no mundo. Ou seja, qualquer projeto com esse cara já chama a atenção do mercado.

O nome Lumen não é muito conhecido. Em vez disso, normalmente se refere a essa moeda através do nome de sua rede: Stellar. Então, para deixar claro, Stellar é o nome da plataforma baseada em blockchain que tem como moeda nativa o Lumen. Usa-se a rede Stellar para transacionar Lumens e assim emitir/receber pagamentos.

Inicialmente, o código-fonte usado para o XLM era uma adaptação do código do XRP, moeda que Jed McCaleb ajudou a criar quando ainda fazia parte do Ripple. Posteriormente, o código do XLM foi reescrito sofrendo diversas modificações. Apesar disso, ambas as moedas ainda possuem diversas semelhanças. Por exemplo, elas são capazes de confirmar transações rapidamente (normalmente entre 2 e 5 segundos) e possuem baixas taxas/custos para remessas de valores (normalmente bem abaixo de 1 centavo). Além disso, essas duas moedas têm casos de uso voltados principalmente às instituições financeiras que buscam realizar transações internacionais com mais agilidade e menores custos.

Apesar dessas semelhanças, existem algumas diferenças importantes da rede do Stellar em comparação a outras Criptomoedas.

Diferentemente de moedas deflacionárias como XRP e o Bitcoin, que possuem um limite de unidades monetárias, o XLM é inflacionário. Isto significa que a oferta desse ativo é programada para aumentar periodicamente. Mais precisamente, todo ano eleva-se em 1% a oferta dessa moeda. Dessa forma, pretende-se que as pessoas usem o XLM ao invés de ficarem aguardando uma futura valorização.

Outra característica importante é seu potencial uso como uma exchange distribuída, ou seja, mais segura que as exchanges tradicionais. A beleza aqui é que a rede do Stellar permite nativamente a criação de livros de oferta e pagamentos entre diferentes tipos de ativos! Assim, aos olhos do usuário, funciona praticamente como uma exchange tradicional (essa foi uma das heranças do código fonte do Ripple).

Não vou aqui entrar em detalhes sobre o sistema de consenso do XLM (também herdado do Ripple) para não me estender. Mas de forma bem geral, ele é um algoritmo determinístico em que são criadas sub-redes com nós tidos como confiáveis. O consenso é alcançado por um sistema de votação que gasta muito menos energia que o Proof-of-Work (algoritmo de consenso mais utilizado até o momento, no Bitcoin por exemplo).

Essas características indicam que o Lumen/Stellar vai valorizar? Obviamente eu não sei essa resposta.

O que eu sei é que diferente de muitos outros projetos que são uma simples tentativa de lucrar com a febre das Criptomoedas, o XLM parece ter aplicação no mundo real. Se esse pequeno detalhe for relevante à valorização do ativo, então vamos todos lucrar com ele no Hash5.

Obs: Este artigo é uma réplica da Newsletter da HashInvest disponibilizada por e-mail e publicada aqui com alguns dias de defasagem. Quer receber a Newsletter na íntegra? Assine inserindo o seu e-mail abaixo:

Assine a nossa newsletter
Receba o conteúdo que interessa para o investidor em Criptomoedas!
Obrigado por assinar a nossa newsletter!
We respect your privacy. Your information is safe and will never be shared.
Don't miss out. Subscribe today.
×
×
WordPress Popup Plugin