imagem de www.cointelegraph.com

Já imaginou receber um bitcoin sem ter que gastar os R$23.000,00 cobrados atualmente nas exchanges? Nada mal não é mesmo? E sim, isso é possível. Você só precisa uma quantidade absurda de sorte.

Para ter uma noção da quantidade de sorte (hoje, em junho de 2018) necessária, você teria que acertar uma sequência de 72 zeros (fazendo uma analogia simples e imprecisa, acertar 72 caras seguidas jogando cara e coroa) antes que uma das 3 milhões de unidades de processamento específicas para mineração (ASICS) compradas em 2017. Não estou aqui nem considerando as unidades já existentes antes de 2017 e as novas compradas agora em 2018. Tá fácil né? Não exatamente. Na verdade é bem difícil. Até porque na mineração de moedas digitais é tudo ou nada: ou você adivinha essa sequência de 64 números ou não recebe nem um centavo.

Mas toda essa dificuldade não precisa ser o fim das suas aspirações a minerador de criptomoedas. Existe uma alternativa. São os mining pools ou em uma péssima tradução, piscinas de mineração.

Um mining pool é como uma cooperativa de mineração. Neste modelo, a remuneração da criação dos blocos é dividida entre os participantes proporcionalmente a sua colaboração. Isto é, conforme o poder computacional disponibilizado à atividade.

Para ter uma noção do poder desses pools, o site blocktrail.com estima que os dois maiores pools de Bitcoin do mundo (BTC.com e AntPool) tenham cada um quase 20% do poder total de mineração dessa moeda. Isto significa que 40% dos novos Bitcoins ficam na mão dos “cooperados” dessas empresas.

Se você realmente tem interesse na mineração, existem estratégias diferentes que podem ser adotadas. Por exemplo, minerar moedas desconhecidas ao invés das famosas pode render fruto no longo prazo. Além disso, sites como https://www.coinwarz.com/cryptocurrency possuem calculadoras que verificam a rentabilidade de muitas Criptomoedas e podem te ajudar com a análise de custos.

Além de pensar nas moedas que podem cair no seu bolso, a mineração de Criptomoedas também pode possuir outro benefício: se você decidir manter um nó de uma Criptomoeda rodando na sua casa para minerar, você está tornando a rede mais resistente à fraudes e ajudando o ecossistema das moedas digitais.

Obs: Este artigo é uma réplica da Newsletter da HashInvest disponibilizada por e-mail e publicada aqui com alguns dias de defasagem. Quer receber a Newsletter na íntegra? Assine inserindo o seu e-mail abaixo:

Assine a nossa newsletter
Receba o conteúdo que interessa para o investidor em Criptomoedas!
Obrigado por assinar a nossa newsletter!
We respect your privacy. Your information is safe and will never be shared.
Don't miss out. Subscribe today.
×
×
WordPress Popup Plugin