Desviando ligeiramente do viés de investimentos, vou invadir um pouco a área de tecnologia, porque vejo que cada vez mais gente está com o Blockchain na ponta da língua sem saber muito sobre o que está falando.

Se você investe em Bitcoin é aconselhável que você entenda superficialmente do porque a tecnologia por trás dele faz dessa Criptomoeda uma coisa tão fantástica.

Pois é, o tal do Blockchain virou a palavra da moda e o que acontece é que pouca (realmente pouca) gente faz ideia do que se trata. O hype está obrigando o uso de blockchain em tudo, foi assim com o Big Data, com o IoT, com o Machine Learning, com a Inteligência Artificial, com as paletas mexicanas, hamburguerias e com a cerveja artesanal…

Não… colecionar gatinhos virtuais ou registrar identidade de refugiados no blockchain não vão revolucionar o mundo e muito menos impactar no seu bolso.

A maioria absoluta das aplicações que a turma do blockchain fica se esforçando para inventar (sem conseguir convencer direito para que serve) podem (e devem) ser melhor executadas em plataformas centralizadas (talvez até em blockchain, mas sem necessidade de ser público e nem distribuído), e o pior, não requerem consenso.

Não, não precisamos de um token para tudo e muito menos de um blockchain para tudo, então, não se sinta mal se você até agora não entendeu direito o que é o tal blockchain e principalmente se você não captou (ou engoliu) a prometida revolução trazida por essa tecnologia e suas fechaduras conectadas que pagam o dono do imóvel sem você precisar do AirBnB.

Existem sim outras aplicações empolgantes, como registro de propriedade, modernização dos cartórios, e o rastreamento das cadeias logísticas, enfim, tudo que pode ser auditado é alvo do blockchain, mas todas essas aplicações são específicas e vão atender aos interesses de indústrias e setores, com pouco efeito nas rotinas de seu dia a dia e nada sobre seus investimentos.

O hype está errado! A revolução não é o blockchain. Blockchain é o de menos! Sim, você leu direito. Blockchain é “só” uma ferramenta. Bancos de dados com chaves de hash (aka Blockchain) estão ai desde a década de 70.

A grande sacada são os algoritmos de Consenso! Seja o consagrado POW (proof of work) do Bitcoin, o genial Consensus do Ripple ou o ainda polêmico POS (Proof of stake) implementado em algumas Criptomoedas.

O lance não é ter um banco de dados protegido (isso já existe a décadas), o lance é como escrever um registro nesse banco de dados protegido sem precisar da “benção” de uma entidade controladora.

Como sociedade, desenvolvemos diversos algoritmos de consenso, mas a grande maioria é facilmente violável. Exemplo: Usar aliança dourada na mão esquerda é um consenso social que significa que o portador é casado. Tire a aliança ou vista uma sem ser casado e você estará burlando as regras desse consenso.

A beleza maior do que nos foi apresentada por Satoshi com surgimento do Bitcoin é uma tecnologia em que burlar o consenso vai te custar muito mais caro do que segui-lo.

E qual a aplicação mais óbvia essa tecnologia?

Desculpem-me os entusiastas do blockchain e sejamos práticos. A única aplicação sólida até o momento para o tal do blockchain que realmente entrega a tal revolução como ela é alardeada é… DINHEIRO DIGITAL.

Registrar saldos em um banco de dados que somente podem ser alterados pelos seus donos sem precisar da “benção” de ninguém é a grande inovação. O consenso é que deveria ser o grande hype, a grande modinha!

O consenso distribuído sem autoridade central aplicado ao blockchain dividiu uma era. Antes e depois do Bitcoin.

Os famosos Smartcontracts (sim, se a turma não consegue explicar um blockchain, imagina um smartcontract) ainda são uma promessa e ninguém apareceu com o “killer app” ou com a aquela aplicação que divide o mundo antes de depois do Smartcontract (Cryptokitties não conta!).

E onde quero chegar?

Se você quer investir em blockchain, hoje, compre Criptomoedas, e de preferência as maiores. Fuja da “tokenização de tudo” e fuja de quem está inventando problemas para adequar às soluções mágicas que o blockchain resolve. Fuja da ICOs que prometem resolver tudo com o blockchain.

Cuidado com o hype das novas plataformas de Smartcontracts (se fazer 100x melhor que o Ethereum fosse fácil, Vitalik que é gênio já teria feito no próprio ETH). Acredito sim nos Smartcontracts mas ainda sou cético ao fato de que as promessas (sim, apenas promessas) do EOS (que não publicou uma linha de código de programação) valem mais de 10 Bilhões de dólares.

Não saia comprando as chamadas “shitcoins” por ai… O tal consenso é maravilhoso, mas precisa de muita escala para ser efetivo e funcionar de verdade. Semana passada, as moedas Verge e Bitcoin Gold foram atacadas justamente por não terem força computacional suficiente para que suas redes sejam robustas (consenso fraco e violável).

Sim, eu sei que estamos nessa majoritariamente por causa do dinheiro, mas não é por isso que você vai engolir qualquer lixo, comprar qualquer ICO e se entupir de moedas de segunda linha só porque você leu naquele relatório (que te cobraram) que a moeda X tem um time de primeira linha e fez uma parceria com a Nasa.

Ao investir com a HashInvest, mais especificamente em HASH5, você aposta no melhor dessa tecnologia, como um todo. Você compra o que há de maior, com mais liquidez e menor risco. Pode ter certeza que no longo prazo, aquela shitcoin que disparou de preço não terá feito falta alguma em seu portfólio.

Obs: Este artigo é uma réplica da Newsletter da HashInvest disponibilizada por e-mail e publicada aqui com alguns dias de defasagem. Quer receber a Newsletter na íntegra? Assine inserindo o seu e-mail abaixo:

Assine a nossa newsletter
Receba o conteúdo que interessa para o investidor em Criptomoedas!
Obrigado por assinar a nossa newsletter!
We respect your privacy. Your information is safe and will never be shared.
Don't miss out. Subscribe today.
×
×
WordPress Popup Plugin